Apesar da complexidade dos desafios enfrentados pelo Brasil no caminho para seu desenvolvimento. Ninguém discute o papel da educação na construção de um país mais igualitário e desenvolvido. O que se discute, e muito, são os novos papeis do professor que mudaram muito, ao longo da última década.

 

Antes visto como aquele que detém todo o conhecimento disponível na área em que atua, na educação do século XXI passa a ser o “fio condutor”, o mediador e facilitador da aprendizagem. Talvez seu papel mais importante seja o de curador, no sentido de ser o responsável por organizar e gerir o ambiente educacional.

 

Nesse sentido, o grande desafio docente para esses novos tempos é assimilar as transformações, dominar os recursos e criar métodos para atrair a atenção dos estudantes. A competição é dura. Não é fácil oferecer a eles algo além do que poderiam obter na internet.

Mais que conteúdos, o Professor deve garantir a aprendizagem das competências essenciais para que o estudante possa seguir seu próprio caminho.

 

* Em tempo: a BNCC, homologada pelo MEC em 2018, define competência como a mobilização de conceitos, procedimentos, habilidades práticas, atitudes e valores para resolver demandas complexas da vida cotidiana e do mundo do trabalho.

 

Sem dúvida, a educação deve ser inspiradora e desenvolver a capacidade de enxergar oportunidades, a proatividade e a confiança. Deve ensinar, sobretudo a aprender, desaprender e reaprender, como exige os tempos atuais.

 

Muitos educadores e gestores escolares que não se atentaram para as mudanças provocadas pelos avanços tecnológicos e pelo novo modelo mental que acompanha as novas gerações, certamente levaram um susto. Sala de aula invertida, metodologia de projetos, construção coletiva do conhecimento e outras “modernidades” representam, mais que uma quebra de paradigmas, o rompimento total daquilo que o antropólogo e escritor Darcy Ribeiro alcunhou de “pacto da mediocridade”, no qual o professor finge que ensina enquanto o aluno finge que aprende.

Professor José Mário Orlandi

Pós  Graduado em Gestão Estratégica de Negócios e com Graduação em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda (1989), acumula experiência de 19 anos como professor atuando deste o nível médio/técnico até a graduação e pós graduação. 
Sócio proprietário e Diretor da Mercadológica Serviços de Comunicação e Marketing | www.mercadologicacm.com.br |. Tem experiência de mercado em consultoria e treinamentos nas áreas comercial, de Comunicação e Administração de Marketing. Destaque-se também a atuação da empresa na área do Marketing esportivo e Social.
Saiba mais sobre o currículo  do profissional 
Currículo Lattes José Mário Orlandi, acessando a base de dados da Plataforma Lattes CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.