UMA VITÓRIA TEM MUITOS SENTIDOS

 

“Quando a sorte bate a porta, sempre exige de nós competência, fé e coragem para consagra-la”.

 

 

 

Por José Mário Orlandi 

ferrari.jpg

#josemarioorlandi

#mercadologicacm

 

 

 

 

 

Publicado em 30 de julho 2000 

O piloto brasileiro Rubens Barrichello fez a melhor corrida de sua vida e conquistou, no GP da Alemanha, em Hockenheim, a primeira vitória na carreira. Vitória com muitos sentidos, e valores diferentes.

A vitória de Barrichello, neste Domingo 30 de Julho de 2000, realmente premiou uma corrida de muita sorte, mas que veio recompensar o arrojo e o brilhantismo da equipe Ferrari e do piloto brasileiro: “Quando a sorte bate a porta, sempre exige de nós competência, fé e coragem para consagra-la”.

Arrojo ao aceitar o risco de permanecer com pneus lisos debaixo de muita chuva acabou por coroar a estrela de quem largou em 18º lugar e teve cautela e paciências para chegar à ponta. Depois de 14 voltas, Barrichello já havia conquistado 15 posições e estava em terceiro lugar. Mas, com o carro mais leve (com menos combustível), teria de adotar a estratégia de duas paradas nos boxes. Parou pela primeira vez e voltou na quinta colocação.

Na metade da prova, aconteceu o inusitado, o fato que mudou a história do piloto brasileiro. Um torcedor alemão, provavelmente embriagado, invadiu a pista e passou a caminhar ao lado dos carros. A Ferrari providenciou, rapidamente, a segunda parada nos boxes para Barrichello. Na relargada, Barrichello, em terceiro, partiu para cima do italiano Jarno Trulli, da Jordan. Não conseguiu ultrapassar, e Hakkinen passou a abrir vantagem na liderança.
Duas voltas depois, porém, Pedro Paulo Diniz bateu no francês Jean Alesi, da Prost, no meio da reta. Ninguém se feriu, mas carros e pneus ficaram atravessados na pista, o que resultou em nova entrada do Safety Car.

Um inusitado bêbado, duas bandeiras amarelas seguidas e São Pedro lutaram a seu lado, é verdade, mas “quando o Universo conspira a seu favor, quem poderá ser contra?”. Esta é uma lição para se aprender...

Entretanto, o maior valor dessa vitória, ou de qualquer outra, seja, talvez, compartilhar o sucesso com outros sem medo dá inveja ou do risco de se sentir só.

Ao ganhar sua primeira corrida na Formula 1, Barrichello teve os fluidos positivos de seu companheiro, o alemão Michael Schumacher, de todos os membros da equipe Ferrari e de todos com quem trabalhou em outras equipes nos últimos anos. Foi cumprimentado e carregado em glória no podium pelos maiores rivais da Ferrari, o finlandês Mika Hakkinen, que chegou em segundo, e o escocês David Coulthard, que acabou em terceiro, ambos da McLaren. Recompensa merecida pela lealdade e firmeza de espírito do piloto, e privilégio raro para um profissional que milita num meio concorrido e muitas vezes desleal, onde giram milhões de dólares e vaidades.

Vencer na Fórmula 1 não é fácil, mas difícil mesmo é vencer com torcida e amizade a seu favor, você conseguiria?